A Volta W-52-FC Porto [Crónica]

34

W-52-FC Porto sem concorrência na Volta a Portugal

A 79º edição da Volta a Portugal acabou ontem com a vitória na geral individual de Rául Alarcón.

Contudo  o desastre da Volta a Portugal na perspectiva das outras equipas como o  começou antes da Volta. No caso do Sporting Clube de Portugal-Tavira o motivo foi a ausência da sua principal estrela Joni Brandão.

Nesta 79º edição o FC Porto ganhou 6 das 11 etapas ganhando mais de 50% das etapas desta volta. Para além disso ganharam a classificação geral com Rául Alarcón e fizeram a dobradinha com Amaro Antunes que acabou no segundo lugar da prova portuguesa. Para além destes dois corredores conseguira ainda por António Carvalho no sexto lugar da geral individual. Para além da geral individual conseguiram também a camisola da montanha com Amaro Antunes, e a classificação por equipas com mais de 20 minutos de vantagem sobre o segundo classificado.

Apenas não conseguirão a camisola dos pontos e da juventude que ficaram De Mateos e Krist Neilands respectivamente. No entanto não tinham ninguém a competir pela juventude uma vez que só contam corredores com menos de 25 anos e na classificação por pontos ficaram com o 2º,3º e 4º lugar.

Foi um domínio avassalador da W-52-FC Porto que começou a levantar uma questão bastante pertinente. A questão em causa é se a W-52-FC Porto não devria subir de Continental para Continental Pro.

Uma questão essencial que vem com esta potencial subida de escalão é o orçamento so clube. Estima-se que o orçamento da W-52 FC Porto estejam nas poucas centenas de milhares de euros. Contudo para passar a continental Pro serão necessários chegar a casa dos milhões o que para uma equipa portuguesa não sendo inédito não aconteceu muitas vezes.

Sendo assim coloca-se a questão se os dois principais patrocinadores estarão dispostos a dar esse salto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here